Gaúcho da Fronteira participa do “Caldeirão com Mion”, cantando e explicando expressões do RS

Apontando para Lúcio Mauro Filho, que comanda a banda da atração, Gaúcho da Fronteira recordou:

— Eu me lembro daqui, do pai desse guri, o Lúcio Mauro, foi o primeiro que me apresentou no Rio de Janeiro, no Alô Brasil, Aquele Abraço, em 1972. Depois, do Chacrinha, depois do Faustão, depois da dona Xuxa, agora, com o Mion.

— Eu fico encantado com o senhor aqui — elogiou o apresentador. — O trabalho que o senhor faz é muito legal, porque é muito consistente.

Mion ainda perguntou de onde vinha a energia do artista, que respondeu:

— Eu herdei da minha mãe, que escreveu vários versos que eu gravei em espanhol. Gravei muitos versos dela. E, hoje, continuo fazendo os meus versos e os parceiros que escrevem para a gente também. A gente tem uma história de mais de 50 anos, sempre fazendo a alegria, a esperança, o otimismo, essa coisa boa que a vida nos dá. Através de uma acordeona, de um baile, de uma dança, no Brasil inteiro. Já tivemos nos Estados Unidos também, Paraguai, Uruguai, Argentina.